Quinta-feira, 04 de Fevereiro de 2010

De George Washington a Barack Obama os Estados Unidos já tiveram 44 presidentes da república.

1º presidente dos EUA - George Washington
Período: 1789-1797
Partido: não tinha
Estado: Virgínia
Profissão: fazendeiro, militar


2º presidente dos EUA - John Adams
Período: 1797-1801
Partido: Federalista
Estado: Massachusetts
Profissão: advogado

3º presidente dos EUA - Thomas Jefferson
Período: 1801-1809
Partido: Democrata Republicano
Estado: Virgínia
Profissão: advogado

4º presidente dos EUA - James Madison
Período: 1809-1817
Partido: Democrata Republicano
Estado: Virgínia
Profissão: advogado

5º presidente dos EUA - James Monroe
Período: 1817-1825
Partido: Democrata Republicano
Estado: Virgínia
Profissão: advogado

6º presidente dos EUA - John Quincy Adams
Período: 1825-1829
Partido: Democrata Republicano
Estado: Massachusetts
Profissão: advogado

7º presidente dos EUA - Andrew Jackson
Período: 1829-1837
Partido: Democrata
Estado: Carolina do Norte
Profissão: advogado e militar

8º presidente dos EUA - Martin Van Buren
Período: 1837-1841
Partido: Democrata
Estado: Nova York
Profissão: advogado


9º presidente dos EUA - William Henry Harrison
Período: 1841
Partido: Liberal (Whig)
Estado: Virgínia
Profissão: militar

10º presidente dos EUA - John Tyler
Período: 1841-1845
Partido: Liberal (Whig)
Estado: Virgínia
Profissão: advogado

11º presidente dos EUA - James Knox Polk
Período: 1845-1849
Partido: Democrata
Estado: Carolina do Norte
Profissão: advogado

12º presidente dos EUA - Zachary Taylor
Período: 1849-1850
Partido: Liberal (Whig)
Estado: Virgínia
Profissão: militar

13º presidente dos EUA - Millard Fillmore
Período: 1850-1853
Partido: Liberal (Whig)
Estado: Nova York
Profissão: fazendeiro

14º presidente dos EUA - Franklin Pierce
Período: 1853-1857
Partido: New Hampshire
Estado: Virgínia
Profissão: advogado

15º presidente dos EUA - James Buchanan
Período: 1857-1861
Partido: Democrata
Estado: Pennsylvania
Profissão: advogado

16º presidente dos EUA - Abraham Lincoln
Período: 1861-1865
Partido: Republicano
Estado: Kentucky
Profissão: advogado

17º presidente dos EUA - Andrew Johnson
Período: 1865-1869
Partido: Democrata
Estado: Tennessee
Profissão: alfaiate


18º presidente dos EUA - Ulysses Simpson Grant
Período: 1869-1877
Partido: Republicano
Estado: Ohio
Profissão: militar

19º presidente dos EUA - Rutherford B. Hayes
Período: 1877-1881
Partido: Republicano
Estado: Ohio
Profissão: advogado

20º presidente dos EUA - James Abram Garfield
Período: 1881
Partido: Republicano
Estado: Ohio
Profissão: Professor

21º presidente dos EUA - Chester Alan Arthur
Período: 1881-1885
Partido: Republicano
Estado: Vermont
Profissão: advogado

22 e 24º presidente dos EUA - Stephen Grover Cleveland
Período: 1885-1889 e 1893-1897
Partido: Democrata
Estado: New Jersey
Profissão: advogado

23º presidente dos EUA - Benjamin Harrison
Período: 1889-1893
Partido: Republicano
Estado: Ohio
Profissão: advogado

25º presidente dos EUA - William McKinley
Período: 1897-1901
Partido: Republicano
Estado: Ohio
Profissão: advogado

26º presidente dos EUA - Theodore Roosevelt, Jr.
Período: 1901-1909
Partido: Republicano
Estado: Nova York
Profissão: escritor

27º presidente dos EUA - William Howard Taft
Período: 1909-1913
Partido: Republicano
Estado: Ohio
Profissão: advogado

28º presidente dos EUA - Thomas Woodrow Wilson
Período: 1913-1921
Partido: Democrata
Estado: Virgínia
Profissão: professor

29º presidente dos EUA - Warren Gamaliel Harding
Período: 1921-1923
Partido: Republicano
Estado: Ohio
Profissão: editor de jornal

30º presidente dos EUA - John Calvin Coolidge, Jr. (Calvin Coolidge)
Período: 1923-1929
Partido: Republicano
Estado: Vermont
Profissão: advogado

31º presidente dos EUA - Herbert Clark Hoover
Período: 1929-1933
Partido: Republicano
Estado: Iowa
Profissão: engenheiro

32º presidente dos EUA - Franklin Delano Roosevelt (FDR)
Período: 1933-1945
Partido: Democrata
Estado: Nova York
Profissão: advogado

33º presidente dos EUA - Harry S. Truman
Período: 1945-1953
Partido: Democrata
Estado: Missouri
Profissão: fazendeiro e empresário

34º presidente dos EUA - Dwight David "Ike" Eisenhower
Período: 1953-1961
Partido: Republicano
Estado: Texas
Profissão: militar

35º presidente dos EUA - John Fitzgerald Kennedy (JFK)
Período: 1961-1963
Partido: Democrata
Estado: Massachusetts
Profissão: político

36º presidente dos EUA - Lyndon Baines Johnson (LBJ)
Período: 1963-1969
Partido: Democrata
Estado: Texas
Profissão: professor

37º presidente dos EUA - Richard Milhous Nixon
Período: 1969-1974
Partido: Republicano
Estado: Califórnia
Profissão: advogado

38º presidente dos EUA - Gerald Rudolph Ford, Jr.
Período: 1974-1977
Partido: Republicano
Estado: Nebraska
Profissão: advogado

39º presidente dos EUA - James Earl Carter, Jr. (Jimmy Carter)
Período: 1977-1981
Partido: Democrata
Estado: Geórgia
Profissão:  militar

40º presidente dos EUA - Ronald Wilson Reagan
Período: 1981-1989
Partido: Republicano
Estado: Illinois
Profissão: actor e sindicalista

41º presidente dos EUA - George Herbert Walker Bush
Período: 1989-1993
Partido: Republicano
Estado: Massachusetts
Profissão: empresário


42º presidente dos EUA - William Jefferson Clinton (Bill Clinton)
Período: 1993-2001
Partido: Democrata
Estado: Arkansas
Profissão: advogado


43º presidente dos EUA - George Walker Bush
Período: 2001-2009
Partido: Republicano
Estado: Connecticut
Profissão: empresário

44º presidente dos EUA - Barack Hussein Obama II
Período: 2009-2013
Partido: Democrata
Estado: Havaí
Profissão: advogado e cientista político
 


tags:

publicado por danielapedrix às 15:22
Terça-feira, 05 de Janeiro de 2010

Pela primeira vez na História da expansão européia, uma colônia tornava-se independente dos países meio por um ato revolucionário. E fazia-o não só proclamando ao mundo, no documento histórico aprovado no 4 de Julho, o direito à independência e à livre escolha de cada povo e de cada pessoa ("o direito à vida, à liberdade e à procura da felicidade" são definidos como inalienáveis e de origem divina), mas ainda construindo uma federação de estados dotados de uma grande autonomia e aprovando uma constituição política (a primeira da História mundial) onde se consignavam os direitos individuais dos cidadãos, se definiam os limites dos poderes dos diversos estados e do governo federal, e se estabelecia um sistema de equilíbrio entre os poderes legislativo, judiciário e executivo de modo a impedir a supremacia de qualquer deles, além de outras disposições inovadoras. O sucesso norte-americano foi descrito como tendo influenciado a Revolução Francesa (1789) e as subseqüentes revoluções na Europa e América do Sul. Os pensamentos iluministas influenciaram no novo governo americano.


tags:

publicado por danielapedrix às 19:20
A Guerra da Revolução Americana ou ainda Revolução Americana de 1776, teve suas raízes com a assinatura do Tratado de Paris que em 1763 acabou por finalizar a Guerra dos Sete Anos. Ao final do conflito, o território do Canadá foi incorporado pela Inglaterra. Neste contexto, as treze colônias representadas por Massachusetts, Rhode Island, Connecticut, New Hampshire, Nova Jersey, Nova York, Pensilvânia, Delaware, Virgínia, Maryland, Carolina do Norte, Carolina do Sul e Geórgia começaram a ter seguidos e crescentes conflitos com a metrópole, pois devido aos enormes gastos com a guerra, a Metrópole inicia uma maior exploração sobre essas áreas, constituiu-se de batalhas desfechadas contra o domínio inglês, durante a Revolução Americana de 1776. Movimento de ampla base popular, teve como principal motor a burguesia colonial e levou à independência das Treze Colônias - os Estados Unidos da América - (proclamada em 4 de Julho de 1776), o primeiro país a dotar-se de uma constituição política escrita. Thomas Jefferson.As ações militares entre ingleses e os colonos americanos começam em março de 1775. No decorrer do conflito (Lexington, Concord e batalha de Bunker Hill), os representantes das colônias reuniram-se no segundo Congresso da Filadélfia (1775) e Thomas Jefferson, democrata de idéias avançadas, redigiu a Declaração da Independência dos Estados Unidos da América, promulgada em 4 de Julho de 1776, dando um passo irreversível. Procede à constituição de um exército, cujo comando é confiado ao fazendeiro George Washington. Os ingleses, lutando a 5.500 km de casa, enfrentaram problemas de carência de provisões, comando desunido, comunicação lenta, população hostil e falta de experiência em combater táticas de guerrilha. A Aliança Francesa (1778) mudou a natureza da guerra, apesar de ter dado uma ajuda apenas modesta; a Inglaterra, a partir de então, passou a se concentrar nas disputas por territórios na Europa e nas Índias Ocidentais e Orientais. Os colonos tinham força de vontade, mas interesses divergentes e falta de organização. Das colônias do Sul, só a Virgínia agia com decisão. Os canadenses permaneceram fiéis à Inglaterra. Os voluntários do exército, alistados por um ano, volta e meia abandonavam a luta para cuidar de seus afazeres. Os oficiais, geralmente estrangeiros, não estavam envolvidos no conflito. O curso da guerra pode ser dividido em duas fases a partir de 1778. A primeira fase, ao norte, assistiu à captura de Nova York pelos ingleses (1776), além da campanha no vale do Hudson para isolar a Nova Inglaterra, que culminou na derrota em Saratoga (1777), e a captura da Filadélfia (1777) depois da vitória de Brandywine.

tags:

publicado por danielapedrix às 19:18
Sábado, 12 de Dezembro de 2009

 

O mercantilismo foi a primeira teoria económica, que surgiu no sec XVII devido á afirmação da grandeza do estado e do poder real que criou a recessão económica que se fez sentir na Europa.

Agora mais do que em qualquer outra altura, eram necessárias capitais para custear a magnificência dos reis, reforçar o aparelho do estado e mobilizar exércitos que impusessem a supremacia do país relativamente aos seus vizinhos.

Defendia medida proteccionistas, competitivas e monopolistas.

O mercantilismo tinha como objectivo ter uma balança comercial favorável, ou seja, o valor das exportações ser maior que o das importações.

Então devia produzir-se internamente o mais possível, de forma a reduzir as mercadorias importadas e aumentar as vendas ao estrangeiro.

A estas medidas chamamos o proteccionismo económico.

Teve como principais medidas o aumento da produção industrial,a revisão das tarifas alfandegarias, o incremento e reorganização do comercio.

Os países mais beneficiados desta politica, foram a França e a Inglaterra.

 

 


tags:

publicado por danielapedrix às 15:45
Segunda-feira, 09 de Novembro de 2009


reprodução

 
O Portão de Brandeburgo atrás do muro
 

 
Durante 28 anos, de 1961 a 1989, a população de Berlim, ex-capital do Reich alemão, com mais de três milhões de pessoas, padeceu uma experiência ímpar na história moderna: viu a cidade ser dividida por um imenso muro. Situação de verdadeira esquizofrenia geopolítica que cortou-a em duas partes, cada uma delas governada por regimes politicos ideologicamente inimigos. Abominação provocada pela guerra fria, a grosseira parede foi durante aqueles anos todos o símbolo da rivalidade entre Leste e Oeste, e, também, um atestado do fracasso do socialismo real em manter-se como um sistema atraente para a maioria da população alemã.

 

 


reprodução

 
Soldado trabalha na contrução do muro
 

 

Na manhã bem cedo do dia 13 de agosto de 1961, a população de Berlim, próxima à linha que separava a cidade em duas partes, foi despertada por barulhos estranhos, exagerados. Ao abrirem suas janelas, depararam-se com um inusitado movimento nas ruas a sua frente. Vários Vopos, os milicianos da RDA (República Democrática da Alemanha), a Alemanha comunista, com seus uniformes verde-ruço, acompanhados por patrulhas armadas, estendiam de um poste a outro um interminável arame farpado que alongou-se, nos meses seguintes, por 37 quilômetros adentro da zona residencial da cidade. Enquanto isso, atrás deles, trabalhadores desembarcavam dos caminhões descarregando tijolos, blocos de concreto e sacos de cimento. Ao tempo em que algum deles feriam o duro solo com picaretas e britadeiras, outros começavam a preparar a argamassa. Assim, do nada, começou a brotar um muro, o pavoroso Mauer, como o chamavam os alemães.

"Terrível! Esta fronteira de pedra ergue-se... ofende/ os que desejam ir para onde lhes aprouver/ não para um túmulo de massa/ um povo de pensadores."

 

Volker Braun, 1965

As Primeiras Pedras

tags:

publicado por danielapedrix às 17:49
Quinta-feira, 05 de Novembro de 2009


tags:

publicado por danielapedrix às 16:01

D.João V  foi quem implementou o absolutismo em Portugal. 


tags:

publicado por danielapedrix às 15:55
Terça-feira, 03 de Novembro de 2009

Mercantilismo é o nome dado a um conjunto de práticas econômicas desenvolvido na Europa na Idade Moderna, entre o século XV e o final do século XVIII. O mercantilismo originou um conjunto de medidas econômicas diversas de acordo com os estados. Caracterizou-se por uma forte ingerência do Estado na economia. Consistiu numa série de medidas tendentes a unificar o mercado interno e teve como finalidade a formação de fortes Estados-nação.

É possível distinguir três modelos principais: bulionismo ou metalismo, colbertismo ou balança comercial favorável e mercantilismo comercial e marítimo.

Segundo Hunt, o mercantilismo originou-se no período em que a Europa estava a passar por uma grave escassez de ouro e prata, não tendo, portanto, dinheiro suficiente para atender ao volume crescente do comércio.

As políticas mercantilistas partilhavam a crença de que a riqueza de uma nação residia na acumulação de metais preciosos (ouro e prata), advogando que estes se atrairiam através do incremento das exportações e da restrição das importações (procura de uma balança comercial favorável). Essa crença é conhecida como bulionismo ou metalismo.

O estado desempenha um papel intervencionista na economia, implantando novas indústrias protegidas pelo aumento dos direitos alfandegários sobre as importações, (protecionismo), controlando os consumos internos de determinados produtos, melhorando as infra-estruturas e promovendo a colonização de novos territórios (monopólio), entendidos como forma de garantir o acesso a matérias-primas e o escoamento de produtos manufaturados. A forte regulamentação da economia pelo mercantilismo será contestada na segunda metade do século XVIII por François Quesnay e pelo movimento dos fisiocratas.


tags:

publicado por danielapedrix às 20:56
Segunda-feira, 02 de Novembro de 2009

tags:

publicado por danielapedrix às 21:42
Sexta-feira, 23 de Outubro de 2009

Em Portugal, o absolutismo passou por várias fases de desenvolvimento num sentido crescente do aumento de autoridade e concentração do poder nas mãos dos reis, atingindo o seu auge no reinado de João V. Contudo, não se pode determinar com muita precisão o período em que a monarquia portuguesa já se encontra estruturada em bases absolutistas. Essa questão é difícil de datar porque as raízes do poder monárquico foram se desenvolvendo aos poucos, em várias estruturas e crescendo ao longo de três séculos. Outrora, devemos entender o regime absolutista português como um processo de longa duração, e ao decorrer de toda a Época Moderna, colheu frutos do prestígio que tinha em seu território.

A Espanha conheceu em 1469 a unificação política com o casamento da rainha Isabel de Castela com o rei Fernando de Aragão. Unificado, o reino espanhol reuniu forças para completar a expulsão dos mouros e, com a ajuda da burguesia, lançar-se às grandes navegações marítimas.

Na França, o longo processo de centralização do poder monárquico atingiu seu ponto culminante com o rei Luís XIV, conhecido como "Rei Sol", que reinou entre 1643 e 1715. A ele atribui-se a célebre frase "o Estado sou eu". Ao contrário de seus antecessores, recusou a figura de um "primeiro-ministro", reduziu a influência dos parlamentos regionais e jamais convocou os Estados Gerais.

Na Inglaterra, o absolutismo teve início em 1509 com Henrique VIII, que apoiado pela burguesia, ampliou os poderes monárquicos, diminuindo os do parlamento. No reinado da Rainha Elisabeth I, o absolutismo monárquico foi fortalecido, tendo iniciado a expansão marítima inglesa, com a colonização da América do Norte. Contudo, após a Guerra Civil Inglesa, o Absolutismo perdeu força em Inglaterra, com o rei gradualmente perdendo poderes em favor do Parlamento. A Revolução de 1688 - a "Revolução Gloriosa" - pôs um ponto final no absolutismo inglês.

D.JoãoV


tags:

publicado por danielapedrix às 10:58
Quarta-feira, 21 de Outubro de 2009

Monarquia absoluta

 

 

Durante a Idade Média, a Monarquia absoluta ou absolutista era muito comum, segundo a definição clássica, é a forma de governo onde o Monarca ou Rei exerce o poder absoluto, isto é, independente e superior ao de outros órgãos do Estado. Tem como principal característica o seu detentor estar acima de todos os outros poderes ou de concentrar em si os três poderes do constitucionalismo moderno - legislativo, executivo e judicial.

Esse tipo de governo foi muito comum na Europa ocidental entre o século XVII e meados do Século XIX. Actualmente ainda existem monarquias absolutas no mundo árabe, etc., embora por vezes mais atenuadas e com um pouco mais de distribuição do poder.

Um exemplo de Estado que teve monarquia absoluta foi a Inglaterra, que adaptou essa forma de governo com Henrique VIII até à Revolução de 1688. Actualmente, é uma Monarquia Constitucional. A Áustria, por exemplo, já foi absolutista. De fato, a maioria das nações européias, na segunda metade do século XVI e nos inícios do século XVII, teve um estreito relacionamento com o absolutismo, tendo este sido fortalecido nos países protestantes pelo desenvolvimento da teoria do "direito divino dos Reis". Do lado asiático, temos como exemplos absolutistas o antigo Império Otomano, na actual Turquia.

Algumas formas de monarquias absolutistas ainda sobrevivem nos dias de hoje. Algumas são mais atenuadas (mistas), enquanto outras são completamente absolutas.


tags:

publicado por danielapedrix às 16:23
Sábado, 06 de Junho de 2009

tags:

publicado por danielapedrix às 13:17
Sexta-feira, 15 de Maio de 2009

tags:

publicado por danielapedrix às 15:33
Segunda-feira, 20 de Abril de 2009

tags:

publicado por danielapedrix às 15:39
Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009

 


tags:

publicado por danielapedrix às 18:11
Aqui vao encontrar os trabalhos que realizei e que mais gostei. São trabalhos que lhe vão despertar a curiosidade de saber mais de algo. Projecto BlogsN-Escola EB23 de Nevogilde
mais sobre mim
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
27
28
29

30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO